fbpx

Um Dia me Disseram… Automatismo

Nessa Lua Crescente com influência de Gêmeos começamos a nossa cotação de historia imaginando quantas coisas fazemos na vida “porque sempre foi assim”.

Então agora pare um pouco, faça uma respiração profunda, olhe para o Oeste e imagine que você pergunta para as nuvens da transformação: Porque sempre foi assim?

UM DIA ME DISSERAM que depois de Pã ter sumido nas tormentas do Medo o Quarto Mundo passou a viver uma realidade estática. No primeiro momento, os filhos da Terra achavam que isso era bom. Parecia uma eterna primavera, tudo sempre do mesmo jeito, não havia mudança das estações, não havia mudança de dia e noite, não havia ritmo, não havia nada diferente. Tudo parecia igual e linear. Os filhos da Terra seguiam um roteiro idêntico, tudo parecia estar sob controle e muitos acharam que isso era o paraíso e a felicidade. Ninguém questionava, ninguém pensava diferente, afinal, estava tudo “perfeito”. Com o passar dos anos, esse “perfeito linear” passou a ser automatismo, ao observar os filhos da Terra de longe não era possível reconhecê-los pois pareciam robôs, todos iguais e “perfeitos”. Quando alguém saia dessa normalidade perfeita, por qualquer motivo, isso era logo reprimido e a normalidade AUTOMÁTICA era retomada. Porém, de tempos em tempos, alguém se lembrava de Pã e um forte Medo de sentir Medo se fazia presente. Haviam tantas histórias de como a presença de Pã no Quarto Mundo causava crises e caos, que só de falar o seu nome as pessoas já tremiam e voltavam a fazer as suas atividades automáticas, sem nem pensar o porque estavam fazendo aquilo. 

Porém, em um belo dia, uma filha da Terra perguntou para sua mãe porque ela estava colhendo flores nos campos. A mãe respondeu:  “porque as jovens devem colher as flores, porque sempre foi assim.” Ela não aceitou muito bem essa resposta e no meio dos seus afazeres ela observou ao longe no Oeste o único lugar que havia nuvens escuras e pesadas. Ela passou ali alguns minutos pensando porque só naquele lugar havia nuvens? E por que elas eram escuras? Por que ninguém ia naquela direção? Ao longe ela avistou um bosque com lindas flores brancas, de repente sentiu um impulso de ir coletar aquelas flores, porém a mãe gritou que já era hora de voltar para a vila. 

No outro dia, ela observou que no norte haviam grandes montanhas brancas e lá no alto tinham templos de sabedoria. Ela tinha muita vontade de ir lá, para aprender e estudar, mas só poderia ir quando ela alcançasse a idade madura. Ela perguntou:
–  Por que só posso ir quando tiver mais idade? 
E a mãe respondeu: 
– Porque foi sempre assim!

No outro dia ela foi colher flores próximo de um lindo lago que ficava no Leste, observou que depois do lago haviam as sacerdotisas das estrelas, mulheres que andavam como se estivesse flutuando e diziam ter vindo diretamente das estrelas, além de trazerem a sabedoria da Estrela Matutina. Eram aquelas que sabiam sobre o passado, o presente e o futuro de todos os filhos da Terra. A menina queria muito, muito, muito perguntar para elas sobre tantas coisas e quando colocou os pezinhos na beira do rio, sua mãe gritou: 
não podemos entrar no lago da vida.  E ela perguntou: 
por que não? e a mãe respondeu: 
porque sempre foi assim.

No dia seguinte ela foi colher flores numa colina e avistou um vale no Sul, repleto de frutos, animais, vida e alegria. Queria sair correndo em direção ao vale, mas ela já sabia o que a mãe iria dizer, que não pode ir porque sempre foi assim.

E esse “porque sempre foi assim”, ninguém conseguia explicar para ela. E algo dentro da menina borbulhava. Todos os dias ela tentava se encaixar e seguir os seus afazeres sem perguntar, mas ela não aguentava, e começava a querer saber por que lá é o único lugar que tem nuvens? E ali, por que eu não posso ir agora? E por que não posso tomar banho no lago da vida se eu estou viva? e por que não posso festejar no vale do sul?… e por que… por que… e por que tudo tem que ser sempre igual?


DESENVOLVIMENTO PESSOAL

A palavra Desenvolvimento vem de desenvolver, que descreve um ato de “desenrolar, permitir a saída ou aparecimento de algo que estava tolhido”. Para a Prof de Filosofia Lúcia Helena Galvão, Desenvolvimento é uma palavra que deriva da expressão egípcia “desenrolar o papiro”. Os papiros guardavam as escrituras sagradas egípcias. E quando escolhemos nos desenvolver, amadurecer e crescer na vida, estamos escolhendo desenrolar o nosso papiro para assim revelar as nossas escrituras sagradas que guardam a essência, aquilo que é essencial ao nosso ser para nos tornarmos um ser humano. 

Acontece que o conceito de Desenvolvimento Pessoal ou Humano está muito vinculado às listas de best sellers sobre motivação, empreendedorismo, sucesso, carreira e etc. Se você fizer uma pesquisa rápida no Google: “desenvolvimento pessoal”, vai aparecer pouca coisa de embasamento filosófico ou estrutural para o desenvolvimento real do ser humano, e sim dicas de como ter um melhor desempenho e sucesso principalmente profissional. Com o crescimento dos coaches esse nicho também está em evidência, pois os “gurus” do empreendedorismo começaram a perceber que o sucesso precisa abranger a vida como um todo. E aí as práticas “tradicionais”, por assim dizer, passaram a ser técnicas modernas com outros nomes para desenvolver a concentração, o foco, mindset, mudanças de hábitos etc. Com o objetivo de se ter mais motivação e alcançar o sucesso. 

A minha reflexão é apenas sobre: o que é o sucesso e automatismo?
Todo esse movimento é ótimo, na verdade, pois está possibilitando a um maior número de pessoas a terem acesso e contato com técnicas e prática que auxiliam o autoconhecimento e tiram a mente do automático. Empresários, empreendedores, pessoas que vivem num universo escrot* e estruturalmente fazem parte de uma mentalidade materialista, colonizadora e que incentivam o automatismo, mesmo com a “escusa” de ter mais sucesso financeiro e profissional, estão parando um pouco para respirar. E a esperança é que com o tempo chegue a percepção de que sucesso só existe quando todes os seres humanos ao nosso redor possuírem as mesmas oportunidades de também se desenvolverem como seres humanos.  

Mas o objetivo dessa prosa não é falar sobre isso e sim refletir sobre o Yoga.Nã nesse processo do Desenvolvimento Pessoal. Pois o objetivo do sucesso deveria ser o sucesso como ser humano. Dentro daquilo que almeja-se,   que é um ser humano, o que escolhemos ser para caminhar em direção a isso deveria ser a busca do sucesso. 

Estudando um pouco sobre MKT digital fiquei bem reflexiva sobre onde o Yoga.Nã deveria se posicionar. Parecia meio óbvio para todes que deveria ser no nicho de Yoga, mas aí eu te pergunto: o que é yoga para você? Muito provavelmente você no mínimo pensou naquelas posturas que são as asanas sendo a única definição de Yoga, porém os asanas (posturas) são apenas um prisma do yoga. E o que o Yoga realmente é? 

– uma filosofia 

– uma ciência

– um modo de vida

– ??????

Minimizando e reduzindo muito, o Yoga poderia ser um manual filosófico, moral e experimental que ensina um passo a passo para o nosso desenvolvimento com o objetivo de nos tornarmos um verdadeiro ser humano, integrando corpo, mente, emoções, espiritualidade, individualidade e coletividade.  

Em uma das escrituras sagradas mais conhecidas da Índia, o Bhagavad Gita, é descrito sobre a liberdade por meio da ação e em uma estrofe diz assim: “Tudo o que o ser superior (consciência) faz, o ser inferior (personalidade) imitar, estabelecendo assim um padrão de comportamento correto no mundo.”(3:21). Para Yogananda isso tem haver com o ato de transformação social e coletiva através da transformação individual. No livro A Essência do Bhagavad Gita, Yogananda comenta assim:

“A melhor maneira de aperfeiçoar a sociedade seria, não resta dúvida, criar sociedades menores capazes de inspirar seus membros a promover as mudanças recomendadas dentro de si próprios, individualmente (…) A primeira responsabilidade que o universo impõe a cada pessoa é esta: “muda-te a ti mesmo.” (pag. 165)

Eu acredito que as mobilizações sociais, revoltas, motins, levantes e todas as manifestações sociais que trazem a voz do povo, são extremamente válidas e necessárias para romper com os padrões estruturais limitantes, e esses movimentos geram contraste para que assim seja possível a reflexão. O questionar e o refletir nos tira das ações automáticas carregadas das marcas mentais limitantes, ou seja, ao nos questionar e questionar a realidade ao nosso redor saímos do estado “porque sempre foi assim”. O desenvolvimento pessoal vem como uma reestruturação interna do ser para que seja possível sustentar valores e virtudes humanas reais e a partir dessa reestruturação interna inspirar outras transformações da realidade estrutural ao redor. No momento em que nos transformamos internamente, a realidade a nossa volta começa a se transformar, porém não é instantâneo. E existem medidas sociais que precisam ser tomadas de forma instantâneas para salvar vidas, porque toda vida importa. Se somos seres humanos precisamos nos importar com todas as vidas do planeta.

O Yoga.Nã através de mim, Nanã Maria Matos, não está aqui para dizer verdades e nem qual é o caminho certo, principalmente porque eu não sei quais os caminhos são certos e quais são as verdades. A minha mente ainda se engana muito dentro dos meus próprios conflitos egoístas. A ideia aqui é apenas promover um espaço de desenvolvimento, reflexão, aprendizagem e experimentos. Para que possamos atravessar com suporte a Insegurança de viver, mergulhado na nossa profundidade, encontrando os nossos medos, conflitos, enganos emocionais, marcas mentais para conhecer a nossa verdadeira face sem filtro, e assim desenrolar o nosso papiro para revelar a nossa essência. E eu acredito que isso só é possível com reflexão, prática experimental e apoio. 

Na sua vida quais são os padrões que você segue e que nunca se perguntou “por que”? Quais os comportamentos e ações que você faz e que nunca refletiu porque agi assim? Me conta!
É chegado o momento de desenrolar o papiro sagrado da sua essência!
Desenvolva-se! 

Um Dia me Disseram… Automatismo
Tagged on:                 

Deixe um comentário