fbpx

Portal da Aparência

A lunação de Áries traz uma energia de movimento, reação, impulso, coragem e vitalidade. É uma ótima energia para descobrir realmente quem é você na fila do pão. Porque você acorda todos os dias? O que você está fazendo? E Áries lhe diz que para você descobrir isso é necessário descobrir e revelar a sua verdadeira imagem. E como é possível descobrir a nossa identidade e revelar a nossa verdadeira imagem?

Gosto muito desse trecho do romance A Sacerdotisa do Mar, de Dion Fortune, que revela a importância de mergulhar na nossa face escura para encontrar as raízes do nosso ser.

“Na mente de cada ser existe uma parte semelhante ao lado escuro da Lua, que nunca se vê, mas eu tive o privilégio de vê-la. Esse lado escuro parecia-se com o espaço interestelar na Noite dos Deuses, e era onde estavam as raízes do meu ser.”

Na nossa contação de história desse ciclo Ariano, após descansar no colo da Grande Mãe, a Menina vai acordar e iniciar a sua jornada de Descida da Deusa, chegando no primeiro Portal da APARÊNCIA.

UM DIA ME DISSERAM, que no princípio tudo era escuro e úmido. Tudo era o útero! E no silêncio absoluto a menina acorda com um zunido, um som indescritível. Ela abre os olhos e não se recorda onde está, nem a quanto tempo estava dormindo. Tenta se mexer e parece que está num lugar bem apertado. Tudo é tão escuro, quente e úmido. Tentando olhar em volta ela percebe que existe um ponto de luz bem distante. Começa a se rastejar em direção a essa luz. Ela vai sentindo esse canal escuro ficando estreito, sente muita dificuldade para se movimentar, sente vontade de parar e desistir de ir em direção a luz. Quando de repente ela escuta um som de uma flauta e sente um impulso que a motiva a continuar fazendo força para passar por esse túnel. De tanto se esforçar ela consegue chegar ao final desse túnel e atravessá-lo. 

Mas ao chegar do outro lado, parecia um universo completamente diferente, uma áurea mágica como se ela estivesse sonhando. No centro do salão havia uma fogueira e um ser metade bode e metade humano tocava uma flauta e o fogo dançava lindamente. A menina se sentia confusa, não se lembrava do antes, não sabe onde estava e o que era aquilo. Sentia dor nos olhos pela luz da fogueira, sentia dor no corpo e isso era estranho, porque ela não sabia reconhecer aquele corpo, ela não sabia o que estava sentindo. 

Meio desconfiada a menina interrompe o ser que tocava flauta, ele para olha para ela e a convida para sentar e começa a lhe dizer:

– Seja bem vinda, a sua jornada começa agora

Quando ela ouve a voz desse ser ela começa a ter uma vaga lembrança do momento antes do túnel, mas ainda não consegue compreender. O ser então começa a falar.

– Antes que você continue com essa cara, vou me apresentar. Eu sou Pã. Você vem me procurando há muito e muito tempo, mesmo sem você saber quem sou. Vou te explicar o que aconteceu. A muitas Eras atrás vivíamos uma realidade em que os Filhos da Terra e os Guardiões conviviam em harmonia. Os Filhos da Terra sabiam, que os Guardiões eram os professores dos mistérios e que iriam incentivar os Filhos da Terra a passarem por determinadas provas a fim de desenvolverem as suas habilidades como seres humanos. Eu sou o Guardião das transformações, às vezes mudar o que é necessário pode ser assustador. Eu ensinava os Filhos da Terra a estarem em contato com os seus instintos selvagens e saber como dominá-los para não ser dominados por eles. Porém essas aulas eram muito difíceis para alguns filhos da Terra, que desejaram que eu não desse mais aulas. Porém isso quebra com o ciclo de aprendizagem e desenvolvimento. Esse desejo cresceu nos corações deles e assim começaram uma caçada na tentativa de me destruir, achando que assim ninguém mais teria que aprender a lidar com esses sentimentos humanos. Eu fui tomado pela ira, revolta, raiva e me escondi nas nuvens escuras do oeste enviando raios a todos aqueles que tentassem se aproximar. Com o tempo passaram a me chamar de Medo, Bicho Papão e todos os nomes aterrorizantes. Os outros Guardiões fizeram um acordo com os Filhos da Terra, dividindo a Terra em 5 territórios, na tentativa de preservá-los da própria ignorância, pois a função de todo guardião é manter a vida na Terra e na ausência de algum guardião a vida não seria possível. 

Porém de tempos em tempos alguma Filha da Terra nasce com o propósito de romper com o acordo e mudar a vida automática.

À medida que Pã  vai relatando a história, a menina vai se lembrando da vida de antes, se lembra das perguntas, se lembra da flor, se lembra das nuvens invadindo a vila e pergunta.

– E agora onde estou e o que eu tenho que fazer?

– Você está no interior da Terra, acabou de descansar por 3 noites e 3 dias. E agora está pronta para começar a sua jornada de conhecer quem realmente você é. Esse é o primeiro portal, onde você precisa descobrir qual é a sua personalidade, sua identidade, suas características únicas, qual a imagem que você projeta, como essa imagem revela a sua individualidade, O SEU EU. Reconhecer os seus limites, saber delimitar o seu território e a sua função no mundo. Explicou Pã.

– E como faço isso? Perguntou a menina.

– Seu primeiro desafio é o Portal da Aparência, olhe para o fogo e tente encontrar a sua imagem. Você vai perceber várias imagens distorcidas, ideias que implantaram sobre quem é você. Ultrapasse essas ideias até encontrar a sua real imagem. Continuou instruído Pã. 

A menina se sentou diante do fogo e começou a ver as imagens enquanto Pã tocava a sua flauta mágica. Algumas imagens eram difíceis de encarar, mas Pã insistia que ela continuasse até limpar todas as imagens distorcidas.

O COMEÇO DA JORNADA

Aqui inicia a sua jornada da vida, estamos na lunação de Áries agora em Abril e é um convite para  você reconhecer a sua personalidade, a sua identidade, a sua individualidade. É o momento do encontro com o Eu e a Tomada de Consciência que te tira da zona de “des”conforto. O Eu precisa ser reconhecido, para que você saia da vida comum, como a menina da contação de história que vivia uma eterna primavera, sem nenhum estímulo para crescer e amadurecer.

Comece a reconhecer a sua personalidade, as suas vontades genuínas, os desejos, as virtudes e tudo aquilo que te impulsiona a ser algo que te individualiza, que é diferente de todos os outros.

Lembre-se que se há egoísmo e vaidade é um sinal que o Eu ainda não está sendo aceito, reconhecido e acolhido. Quando o Eu que é a expressão da sua personalidade se sente segura, não há necessidade de lutar para ter algo, alguém ou atenção de alguma situação.

Uma dica: Na Astrologia podemos relacionar essa energia da personalidade com a casa 1, que é a casa do seu ascendente astrológico e esse signo ascendente te revela qual é a sua imagem exterior, como você é visto, como o seu corpo se movimenta. É uma casa que possui Marte e Áries com regentes naturais, então o seu signo ascendente estará sempre sendo impulsionado e dialogando com a energia de Áries e Marte. O signo ascendente é aquele que vai te levar ao crescimento e os desafios do ascendente que vão te elevar em direção ao seu Sol.

A DESCIDA DA DEUSA

Na mitologia Grega, Core é a filha de Demeter, a Deusa da agricultura. Contam a lenda que, a Terra era uma eterna primavera e Core corria pelos campos de flores. Quando Core é raptada por Hades, Deus do Submundo, ela se transforma em Perséfone.

Sua mãe, desolada e sentindo a sua falta, deixa de produzir e a Terra se torna mais infértil. Zeus, preocupado com a falta de alimento e todos os desafios que os humanos estavam passando, solicita de Hécate, a Deusa anciã e guardiã dos portais do renascimento, que vá até o submundo e traga Perséfone de volta ao mundo dos vivos, para que todos pudessem voltar a comer. Porém, no momento do retorno Perséfone aceita do seu amado uma Romã, e assim ela escolhe passar metade do ciclo do ano ao lado de sua mãe e a outra metade ao lado do seu amado sendo a Senhora do Submundo.

Perceba que esse mito possui muitos símbolos, e o principal é que descreve uma jornada de crescimento, transformação, entrega, e retorno ao mundo com a sabedoria instaurada. Todo processo de encontro consigo mesma/o precisa de um momento de descida, para que depois haja um renascimento e retorno ao encontro da Luz. Por isso trago a presença do Arquétipo de Perséfone, Hécate e Demeter para te levar nessa descida da Deusa da forma mais amorosa e real. Porque todo crescimento pode ser com amor!

O que você está sentindo agora depois de ler essa História? Como é sua personalidade? O que você gosta e o que você não gosta? Como sua imagem te revela?

Me conte nos comentários!

E se você não leu ainda as outras histórias UM DIA ME DISSERAM, lhe convido a dar uma olhadinha nas histórias do ciclo de Março.

Portal da Aparência

Deixe um comentário