fbpx

É Seguro Descansar

Estamos na Lua Escura em Peixes, pausa da natureza que antecede a Lua Nova em Áries na Sexta (01/04), neste momento chegamos no fundo do poço desse ciclo pisciano. Talvez pela primeira vez você vai se sentir feliz em saber que chegou no fundo do poço, porque depois de uma grande queda você precisa descansar, repousar no colo da Grande Mãe. Mas não ache que esse é o fim da aventura, na verdade ela ainda não começou. Acredite esse mês de Março foi apenas a Queda, a transformação, o Terremoto, a Descida da sua Energia e agora no interior da Terra quando a Lua chegar na Casa de Áries é que você vai iniciar a Jornada em direção a se  reconhecer, encontrar e integrar a suas partes para depois renascer na Primavera em Setembro… achou que seria tudo simples… puft… “passou, já renasci”, só que não Meu Bem a brincadeira nem começou e hoje você só precisa descansar. 

Tudo na Natureza existe com equilíbrio e moderação. No Bhagavad Gita, Krishna diz a Arjuna:
“O Yoga não é para aqueles que comem em demasia ou se excedem no jejum, que dormem muito ou exageram na vigília. Quem se mostra contido no comer, recrear-se, trabalhar, dormir e permanecer em vigília conquista o yoga, que destrói todo o sofrimento.” (6: 16 e 17) Tudo no seu justo momento, a transformação também precisa de tempo e de pausa para maturar, transmutar e depurar o sabor da essência. 

É permitido para você ser frágil e vulnerável! Você está segura no colo da Grande Mãe!

Apenas Descanse com essa História!

UM DIA ME DISSERAM que para reconhecer o belo é preciso de contraste entre luz e sombra. A Vida parecia estar cansada de ser tão estática e sem transformação de uma beleza sem crescimento. Os filhos da Terra vivendo de forma automática sendo levados a ações egoístas e que destroem os próprios filhos da Terra. E parece que a menina também estava cansada de tudo isso tão estático e então a menina transgrediu os padrões, os conceitos e preconceitos e invadiu o território proibido. Mesmo com medo, com dúvida ela foi em direção ao seu destino.
Dizem e é verdade, que não foi fácil, mas ela sabia dentro do seu ser que a vida era mais do que ela tinha vivido até os seus 16 anos, ela não sabia para onde ir ela só sabia que ela queria conhecer. Porém ela ainda não sabia que o único caminho à conhecer era a si mesmo.

No momento que as nuvens e a bruma a envolveu, ela sentiu um arrepio e um medo tomou conta do seu coração. O peito apertou e ela não conseguia respirar. Ela se agachou tentando proteger a flor, como uma tentativa de manter ali a única coisa que ela conseguia  se lembrar do mundo antes das nuvens. Tudo aconteceu muito rápido e em fração de segundos ela sentia como se estivesse vendo sua vida inteira e indo passando por todas as suas vidas anteriores que ela nem sabia que era possível até quando estava nas estrelas. Várias respostas que ela sempre perguntou vinha na mente, tudo acontecendo de forma muito muito rápida. Até que ela deu um gritou:

Paaaaarrrrrraaaaa….

Aquilo tudo estava a deixando completamente paralizada, o corpo todo estava congelado, respiração ofegante, parecia que não tinha ar. Depois de gritar essa sensação parou de vez e ela se viu num lugar escuro como se ela tivesse caído num grande buraco, a flor não estava mais ali. Ela sentia muito medo, mas pelo menos agora ela conseguia respirar. Porém que lugar era aquele, ela não sabia mais o que tava acontecendo, ela não sabia quem era ela, depois de ver tantas imagens sobre ela. E aí uma voz longe perguntou: “Quem é você?”, “O que é você?”, “O que faz aqui?”

“Quem sou eu?” pensou a menina e respondeu “Eu não sei!”

A Voz continuou “o que você sente?”

“Eu estou com medo” ela respondeu

“E o que é o medo?” – A voz perguntou

“Eu não seiiiii” – ela respondeu se encolhendo e sentindo quase sem voz

“Quem é você? e Que lugar é esse?” – perguntou ela com um tom de desespero e aflição

“Eu sou quem você procura a muito tempo, você nem sabia sobre mim, mas você sabia que queria me encontrar. Hoje os filhos da Terra me chamam de MEDO, mas eu já tive outro nome num passado muito distante.”

Nesse momento, Pã envolvido pelas nuvens pega a menina no colo e a leva até um lugar como no centro de uma caverna. Lá estava quente, porém úmido. A menina continua sem conseguir ver a imagem de Pã. E  pergunta porque ela não consegue o vê e ele responde:

“Quando a nossa mente é cega pelo medo levamos muito tempo sem conseguir enxergar o que realmente existe por detrás do medo. A única coisa que você vê são as nuvens e brumas porque sua mente foi ensinada que a minha imagem era assim. Agora descanse, você chegará no início da jornada e terá um longo caminho a percorrer. É preciso descansar agora!”

A menina deixa de resistir e só se aconchega na Terra, mesmo sem entender porque ela se sente segura ali. É como se ela conhecesse aquele lugar, mesmo só enxergando nuvens e brumas. Ao se entregar na Terra, raízes entrelaçam e criam um ninho em torno da menina e ali ela descansará até estar pronta para iniciar a Jornada no Interior da Terra.

A CRISE

A crise é o momento de crescer!

Momentos desafiadores sempre existiram na história da humanidade. Momentos de crises existenciais também sempre pairam pela vida pessoal de todEs. Eu acredito que pelo menos uma vez na vida você já se questionou o “porque” de estarmos aqui nesse planeta, o “porque” estamos passando por essa ou por aquela situação, “porque” estamos sentindo a perda de algo que amamos, “porque” estamos ganhando algo que logo iremos perder?

Porém, na maioria das vezes, quando esse “porque” chega muitos de nós tende a se distrair. Olhar para o “porque”, as vezes, nos faz destruir tudo que achávamos que tínhamos, as vezes nos força a parar de culpar alguém, ou a situação política pela dor que estamos passando. Faz com que a gente reflita sobre a nossa existência aqui e agora. Nos faz assumir a responsabilidade da própria vida. Como se uma voz interior gritasse no nosso ouvido:

Eiiiii… Por que você está aqui? Você sabia que é um ser humano? E para ser um ser humano precisa se desenvolver? O que você está fazendo com a sua vida?

Não aprendemos a refletir e principalmente a atravessar os desafios. Quando encontramos com a crise deveríamos celebrar, pois a chegada da crise anuncia que essa etapa da vida já foi concluída com sucesso e precisamos avançar mais um degrau, subir de nível de consciência. E para isso acontecer, as vezes, precisamos de algo que nos mobilize para que gere atrito e energia de impulso para que saiamos da comodidade do nível anterior.

A LEI DA NATUREZA

“O que está em cima é como o que está embaixo.” – O Caibalion

Existe uma lei da Natureza que muito nos auxilia no nosso processo de desenvolvimento como ser humano, que é o princípio hermético da Correspondência. E o que isso quer dizer? Em poucas e simples palavras poderia dizer que tudo que acontece fora de nós esta acontecendo correspondentemente dentro de nós, ou seja, se há ciclos de dia e noite na natureza é um sinal que há esses ciclos também dentro de nós. E com a correspondência conseguimos compreender o que representa esse dia e essa noite no nosso ser interno, na nossa natureza interna. Se alguma situação acontece na nossa cidade e que nos deixa chateadas/os, essa situação também está acontecendo dentro de nós. E o que esse acontecimento externo representa para o nosso mundo interno? Se alguém faz algo que não gostamos, normalmente esse alguém está revelando algo nosso, que precisa ser visto, como um espelho. Dessa forma percebemos que somos uma representação correspondente da natureza externa. E se na Natureza há um Sol que é um centro da nossa galáxia, se na Terra existe um núcleo que é o eixo que faz tudo girar na Terra, significa assim que nós também possuímos esse centro que esta em total harmonia e equilíbrio no nosso mundo interno. O que precisa é encontrar esse centro, esse lugar de total equilíbrio e harmonia, para corresponder na vida.

Olhar para a natureza e reconhecer que somos natureza e por isso seguimos as mesmas leis que regem a natureza. Possuímos os momentos de ápice da nossa energia e possuímos os momentos de pausa. Na natureza quando algo está estático e precisa se transformar acontecem um terremoto, por exemplo. E no nosso interior o terremoto às vezes é a nossa transgressão e rebeldia de querer romper os padrões que nos limitam e paralisam. Isso é a crise. Quando a nossa Terra interior treme e o solo se abre, caímos e chegamos no fundo do poço, para assim repousar na escuridão do Útero da Grande Mãe, para poder renascer uma nova versão e iniciar a jornada de desenvolvimento.

Não ache você que ao deitar no colo da Grande Mãe será o fim da jornada, pelo contrário é a preparação para o início da jornada. É o momento de pegar fôlego, o silêncio antes da verdadeira batalha. Então nessa semana, se permita descansar, relaxar, se entregar no colo da Grande Mãe e deixar ela te nutrir! 

Quantas vezes você foi engolida com as crises por não ter percebido os momentos de pausa e de fim dos ciclos?
Inté a Lunação em Áries!

É Seguro Descansar
Tagged on:                                         

Deixe um comentário