Sagrado Feminino

Chega até minha consciência, nesse momento de transformação do planeta Terra, que o movimento do SAGRADO FEMININO tem uma importância primordial, para a construção de uma nova sociedade de seres humanos. É um movimento que auxilia o ancoramento da energia da consciência individual, que para o yoga pode ser chamada de Shakit, em todo o planeta Terra. A partir do despertar dessa energia consciente e dinâmica que existe em todos os seres humanos independente de gênero, raça, crenças religiosas ou status social é possível unir-se a consciência universal, que no yoga chamamos de Shiva, e assim vivenciar a plenitude da unidade em uma sociedade equânime, justa e na vibração da verdade.

Shakit é uma energia potente, dinâmica e inteligente presente em todos os seres humanos. De polaridade feminina é uma energia fluida que é considerada pelos Rishis hindus como o caminho do conhecimento. Essa energia também é conhecida pelo nome de kundalini e desperta promove consciência integral sobre todos os nossos corpo e campos de existência. Nos levando a percepção do todo e de que de fato somos tomos Um. Kundalini se origina da palavra em sânscrito kunda que pode ser traduzido como cavidade ou profundidade, do qual contam que o “kunda” humano encontra-se no ponto mais profundo após o Muladhara Chakra (1º Chakras | Raiz) e que nesse ponto a nossa Shakit se enrola aguardando pacientemente o nosso despertar.

O Swami Satyananda Saraswati, explica que no corpo masculino, a Shakit encontrasse no kunda próximo da região do períneo, entre o órgão urinário e o excretor. No corpo feminino, a Shakit localiza-se na raiz do útero, no colo do útero. Há muitas escolas e formas de perceber e despertar a Kundalini. Muitos afirmam que a forma mais segura é realizar esse processo através de um Guru, ou mestre de uma linhagem tradicional.

O meu objetivo aqui é apenas apresentar que essa luz é possível para todos os seres humanos do planeta Terra. Sendo necessário dedicação, escolha profunda em direção a transformação e paciência, pois todo processo de metamorfose leva tempo de amadurecimento.

Eu acredito que todos os seres são capazes de perceber essa consciência interna e a minha proposta com as jornadas do Sagrado Feminino é que possamos conhecer a nossa potencialidade Shakit, ativando a nossa consciência individual e assim ser possível perceber a consciência universal Shiva, estando integrado ao Todo.

Através de algumas práticas ligadas ao Yoga, Meditação, Escuta do Corpo e Danças Intuitivas vamos fluir com essa energia de polaridade feminina conhecendo a nós mesmos e os segredos da criação.

Alguns mestres fazem uma metáfora muito linda que sinto de partilhar: “A Shakit é como uma mãe amorosa que segura o bebê e conduz em direção a realização.” Em perfeito amor e perfeita confiança, que possamos nos entregar a esse fluxo da transformação e recriar uma nova realidade planetária.

Convido todos os seres humanos, mulheres e homens, todos que sentirem o chamado no coração de despertar a sua potência.


Galeria de Memorias do Retiro Julho/2020

Gratidão por toda transformação que vivemos junt@s!